MUNDO À DERIVA

Enquanto cada um se dedica a seus problemas internos, a crise na economia e no social, o terrorismo descontrolado e a violência urbana vão tirando a paz das famílias, em quase todo o mundo.

Apesar disso, os efeitos dessa globalização negativa têm sido pouco abordados. Quando referida, é pelo fato de os problemas serem muito semelhantes, assim como as resistências também. É o caso da legislação trabalhista, que hoje pouco protege o emprego.

A França socialista, responsável pelos exageros de sua legislação, ao verificar ser esse o entrave a investimentos no país, com o consequente aumento do desemprego e a falência da previdência, resolveu modernizar a lei. Por isso, vem enfrentando protestos em que a violência impera. E com prejuízos para a economia já debilitada.

Portugal choca os empresários ao tornar difícil uma política especial para os jovens em primeiro emprego. Demissões são previstas em meio à crise, tão logo termine o verão.

No Brasil, as reformas trabalhista e previdenciária são prioridade para a atração de investimentos. Os números oficiais apontam que, apesar de uma abertura por anistia de recursos no exterior, muito dinheiro tem sido mandado para fora, de acordo com a lei. E nada se tem investido. Mexer nessas áreas, portanto, será um grande desafio.

O surgimento de propostas demagógicas de menos,horas trabalhadas, mais férias, tornar créditos trabalhistas negociáveis , tolerância com greves frequentes, agrava a crise no emprego.  Empregar virou um risco para o empresário.

Na segurança pública também se nota a presença nos países ocidentais de grupos significativos ainda relutantes a apoiarem uma ação policial enérgica, como parece exigir a situação no Brasil e nos EUA. E quem sofre com o populismo são justamente os mais pobres.

Por fim, os governos negociam com parlamentos divididos e distantes da realidade. Todos, infelizmente, sem espírito público. Assim tem sido na Espanha, em Portugal e no Brasil, por exemplo. Onde vamos parar?

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.